quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Em que Buraco eu Iria me Meter.



Recolhí seus papéis do chão e coloquei em suas mãos
ela agradeceu-me com um monossílabo,
olhou nos meus olhos ardentes
e não resistiu a tentação de satisfazer a sua curiosidade,
abaixando a cabeça, como num ato educado e reverente
mas que na verdade era só um modo
de poder olhar rápida mas, detidamente,
no meu volume apertado entre as pernas da calça,
expondo minha virilidade.
percebendo-me excitado, maravilhou-se,
com um arrepio de vaidade e de prazer,
sem vacilar, convencida que estava, do que iria fazer,
pegou-me pelo braço e disse:
-companhe-me! venha até a minha casa,
que meu marido viajou e a noite toda vai chover.
De pronto lhe acompanhei, e sem pudor já imaginava
em que buraco eu iria me meter.

6 comentários:

Stein Haeger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
MOLHO LIVRE disse...

Quero te entrevistar para o meu blog e meu zine.
Meu email: diego.doug@hotmail.com

e meu blog:

www.molholivre.blogspot.com

Anônimo disse...

Eita homem pra escrever bem!E assim cheio de imagens então...ai ai!
Também adoro vc!Beijos!
Isabel

Flá Perez (BláBlá) disse...

hahahahahahahahahahaha.
esse final foi engraçado!

bjbjbj

Milena Medeiros disse...

opa- novo post---fazia tempo q vc não postava, né?

Estrela disse...

Linda escrita!Amei a arte também. BJÃO