sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Pra Você, Este Poema Imoral

Você saiu dos meus sonhos se fez carne de verdade
surgiu nesta realidade e parou na minha frente.
Eu fiquei todo contente ao saber da existencia
da cura pra minha carencia corpo e alma que sonhei
Tudo que fantasiei desfruto agora em você
sua arte de fuder sua atuação imoral
no manuseio do pau dengos, beijos levianos
suas mordidas de ânus, que mastigam minha vara,
a safadeza na cara, lembra a menina sapeca,
brincando com minha boneca e ainda finge não saber,
que fazendo pra você este poema imoral
Vou Massageando o pau pensando assim te fuder.
Stein haeger

3 comentários:

Fátima Abreu disse...

Muuuuuuuuuuuuuito bom! ADOREI! BEIJOS...

Stein Haeger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Hummm deu voltade, quero mais rs

rsrs fim de tarde agora ja vou olhando aqui uma tara gostosa rs

quero minha boca assim bjs

(DANADINHA)